O que leva as bofetadas

<< Anteiror Início Próximo >>

LEONID ANDREIEV
(1871-1919)


Leonid Nicolaievitch Andreiev nasceu em Oriol, Rússia, em 21 de agosto de 1871 (9 de agosto no calendário juliano). Depois de haver exercido brevemente a advocacia, introduziu-se no mundo literário através do jornalismo. O talento sombrio e ambíguo de Leonid Andreiev, que despertou as mais díspares opiniões





Espaço reservado
a sua fotografia

entre os estudiosos de literatura, refletiu as contradições que dominaram muitos intelectuais de seu país nos anos que precederam a revolução soviética. A produção teatral de Andreiev, iniciada em 1905, mostrou propensão ainda maior para elementos simbolistas e filosóficos, patentes em Zhizn Cheloveka (1907; A vida do homem) e Tot, kto poluchaiet poshchiochini (1916; Aquele que recebe as bofetadas). Seus romances, contos e peças caracterizam-se por profundo pessimismo. Com a revolução, Andreiev se opôs aos bolcheviques e, depois da vitória destes, exilou-se na Finlândia, onde morreu praticamente esquecido, em Kuokkala, a 12 de setembro de 1919.

O Teatro de Amadores de Pernambuco encenou de sua autoria "O que leva as bofetadas", numa tradução de Valdemar de Oliveira, baseado na versão Espanhola de Cristobal de Castro. Também foi o diretor e a peça subia à cena no dia 10 de julho de 1954, no Teatro de Santa Isabel.