<< Anteiror Início Próximo >>
MAURICE MAETERLINK
(1862-1949)



Maurice Polydore-Marie-Bernard Maeterlinck nasceu em Gand, Bélgica, em 29 de agosto de 1862. Iniciou o curso de direito na Universidade de Louvain e concluiu-o em Paris, onde entrou em contato com os simbolistas. Logo abandonou a advocacia e se dedicou
inteiramente à literatura. Tornou-se
conhecido coma peça "Pelléas et Mélisande" escrita em 1892 e considerada a mais característica do teatro simbolista.
Uma de suas peça, (Estufas quentes -1889), foi transformada em ópera por Claude Debussy, em 1902. Em 1896, quando se radicou na França, Maerterlinck passou a escrever ensaios, que usou para expressar sua preocupação pelo destino do homem. Sobre esse tema escreveu Le Trésor des humbles (1896; O tesouro dos humildes) e La Sagesse et la destinée (1898; A sabedoria e o destino). Seu interesse pela natureza se manifesta em La Vie des abeilles (1901; A vida das abelhas), obra que une a divulgação científica à metáfora sobre a sociedade humana. Características semelhantes tem L'Intelligence des fleurs (1907; A inteligência das flores), enquanto L'Oiseau bleu (1908; O pássaro azul) foi uma nova incursão no teatro poético. A morte, o misticismo e o ocultismo são uma constante na obra de Maeterlinck, que recebeu o Prêmio Nobel de literatura em 1911. Maeterlinck morreu em Nice, em 6 de maio de 1949.

O Teatro de Amadores de Pernambuco representou de sua autoria a peça "INTERIOR", com tradução de Hermilo Borba Filho, cuja direção esteve à cargo de Valdemar de Oliveira. Subia à cena no dia 28 de abril de 1945, no Teatro de Santa Isabel.