Maestro Nelson Ferreira, para ser mais exato quando dele se mencionar o nome. Nasceu em Bonito, município de Pernambuco, a 9 de dezembro de 1902. Foi batizado com Nelson Heráclito Alves Ferreira. O Recife foi sua segunda casa e dela não se afastou mais. Para fora de sua cidade só o sucesso constante de suas música. Começou cedo quando aos 14 anos, compondo , a pedido da Companhia de Seguros Vitalícia Pernambucana, a valsa "Victória". "Ainda muito jovem tocava nas pensões alegres, nos cafés, nos saraus e nos famosos cinemas Royal e Moderno, no Recife", como nos conta Renato Phaelante no seu livro Compositores Pernambucanos. Tornou-se grande amigo de Valdemar de Oliveira e dele não se afastou mais. Durante o período das operetas, que dominaram o Brasil, nas décadas de vinte e trinta, era ele quem dirigia a orquestra em muitas das 7 operetas de Valdemar de Oliveira. Foi diretor artístico da Radio Clube de Pernambuco mantendo uma orquestra sob sua direção. No carnaval, se um clube quisesse atrair maior quantidades de foliões, bastava anunciar a orquestra do Maestro Nelson Ferreira que teria garantido o alegria da festa, mesmo porque os grandes sucessos musicais sempre tinham o seu nome. Além do ser um compositor de valsas, tangos, maxixes, era o maior quando enveredava para o frevo; São seus os maiores sucessos em frevo de rua, frevo canção e principalmente frevos de blocos do carnaval pernambucano. Suas "evocações" dominaram o ambiente musical do Brasil. Aqui, no Recife, criou raízes e não se afastou por mais que o sul o quisesse por lá. Foi diretor artístico da Fábrica de Disco Rozemblit, onde lançou, para todo o Brasil os sucessos das músicas pernambucanas. Em todas as manifestações artística que envolvesse música, não poderia deixar de ter a presença do Maestro Nelson Ferreira. Assim, pelos caminhos da música, se ligou ao Teatro de Amadores de Pernambuco.

Com sua direção musical o Teatro de Amadores de Pernambuco levou à cena:

"UM SÉCULO DE GLÓRIA",
de Valdemar de Oliveira, espetáculo comemorando os 100 do Teatro Santa Isabel.

"ONDE CANTA O SABIA",
de Gastão Tojeiro estreando no Teatro de Santa Isabel no dia 7 de novembro de 1958.

"MACBETH",
de William Shakespeare, numa tradução de Manoel Bandeira, Adaptação de Zbigniv Ziembinski, foi levada à cena no dia 10 de julho de 1964, no Teatro de Santa Isabel.

"CAPITAL FEDERAL",
de Artur Azevedo, com direção Geral de Valdemar de Oliveira, estreando no dia 7 de abril de 1965, no Teatro de Santa Isabel.

"TAP ANO 25",
de Valdemar de Oliveira, historiando os 25 anos do Teatro de Amadores de Pernambuco, estreando no dia 6 de maio de 1966 no Teatro de Santa Isabel.

"A CASTA SUZANA",
Opereta de Georgis Okokowky ( Libreto ) e Jean Gilbert (Música), encenada no Teatro do Parque com estréia no dia 1 de outubro de 1970.

"ONTEM, HOJE E EAMANHÃ",
de Valdemar de Oliveira encenada no Nosso Teatro, atual Teatro Valdemar de Oliveira no dia 8 de abril de 1972.

"INES DE CASTRO",
de Alejandro Casona que subiu à cena no dia 5 de Setembro de 1972, no Nosso Teatro, hoje Teatro Valdemar de Oliveira.

"TERRA ADORADA",
de Valdemar de Oliveira que subiu à cena no dia 29 de agosto de 1974, no "Nosso Teatro", hoje Teatro Valdemar de Oliveira.
Nelson Ferreira

<< Anteiror Início Próximo >>

A Casta Suzana

Terra Adorada

Nelson ao Piano

Capital Federal