<<anterior início próxima>>
Uma Mulher sem Importância
De: Oscar Wilde

Valdemar de Oliveira, em seu "A propósito" em 14 de julho de 1941, a exatos 12 dias da estréia de "Uma mulher sem importância" se refere ao movimento que o Teatro de Amadores vem imprimindo no Recife: "Deu Knock, ou O triunfo da Medicina, depois "Primerose" - uma porta por onde se passará a dependência mais arejada - e, hoje, "Uma mulher sem importância". Temos a impressão de que apenas começamos. E a prova de que estamos certos é que, de toda parte nos chegam aplausos e estímulos, para que continuemos pelos mesmo caminho, ascensionalmente".

Elenco:

Snra. Agenor Bonfim (Jacy Bonfim) Lady Carolina
Senhorinha Geninha Sá Miss Hester
Dr. José Carlos Cavalcanti Borges João
Senhorinha Denise Albuquerque * Lady Hunstanton
Snr. Alderico Costa Geraldo Arbuthnot
Snr. Augusto Almeida Mistress Allonby
Snra Albérico Glasner (Edith Glasner) Francis
Snra. Ladclaire de Oliveira Lady Stuttfield
Dr. Craveiro Leite * Kervil
Dr.Valdemar de Oliveira Lord Jorge Illingworth
Snr. Albérico Glasner Lord Alfredo
Snra. Diná de Oliveira Raquel Arbuthnot
Snra. Ivone Cavalcanti Borges Alice
* Estreantes no Teatro de Amadores de Pernambuco

 

Móveis: Casa Holanda
Material Elétrico: A Iluminadora e Centro Elétrico
Patrocínio: Senhora Antonieta Magalhães
Entidade beneficiada: Abrigo Cristo Redentor


Alguns trechos de Críticas:

"O maior mérito do Teatro de Amadores é a sua organização. Formou-se para, com elementos representativos da sociedade, realizar espetáculos que sejam, sobretudo, para o próprio elenco. Formei um grupo para os que pensavam ser impossível, no Recife, uma mobilização de figuras virgens em cena que se dispusessem a pintar a cara e, sem medo, pisar as tábuas venerandas do Teatro Santa Isabel... O Teatro de Amadores é diferente e não tenho dúvida quanto à sua manutenção. Sábado próximo, gente de importância , vai representar, com muita importância, "Uma mulher sem importância" que é uma peça de Wilde. A prática do Teatro é muito honrosa. Eu já disse isso ao meu amigo Agenor Bonfim e estou repetindo aqui para os Drs. Cavalcanti Borges e , Ferreyra dos Santos e Leduar de Assis Rocha".
SILVINO LOPES - Diário da manhã

"O último espetáculo que tivemos foi com um peça de Oscar Wilde...O Teatro de Amadores, querendo ou não, prestou homenagem ao gênio. E tudo correu maravilhosamente, com muita honestidade, o que não seria fácil para um grupo de profissionais, se houvesse no profissionalismo gosto e não interesses....O êxito do Teatro de Amadores, não se processou automaticamente . Foram traçadas as suas diretrizes e houve um organizador que, passado por experiência várias, de muito errar cansara e se dispusera corajosamente ao acerto (...) Em cena, afora o desejo de seguir o que está na peça, o que está na marca, vêem-se fisionomias tranqüilas, inteiramente tranqüilas, mesmo quando há lances dramáticos. É o milagre do amadorismo. O mérito maior, porem, do Teatro de Amadores é o de divulgador de grandes peças estrangeiras que jamais seriam dadas ao público do Recife, sem ele".
SILVINO LOPES, no Diário da Manhã

"Quem haja assistido "Primerose", "Dr. Knock", e "Uma mulher sem importância", estará convencido de que Recife poderá possuir o seu teatro, em caráter permanente, representando originais escolhidos e não apenas comédias inexpressivas e adaptações de "chanchadas" estrangeiras, sem nenhum outro mérito além de despertar gargalhas à custa de graçolas menos recomendáveis. Valdemar de Oliveira deve, pois, continuar a obra que iniciou, aqui, com o Teatro de Amadores, teatro honesto, com a sua verdadeira finalidade que não é, unicamente divertir, mas sobretudo, orientar a educação artística do povo com a apresentação de peças boas e de autores realmente bons".
EDITORIAL DA FOLHA DA MANHÃ, sob o título de "Teatro honesto".

"O Teatro de Amadores, ontem, no Teatro Santa Isabel, representou mais uma vez, para um público numeroso, a peça de Oscar Wilde, "Uma mulher sem importância" - espetáculo cujo resultado monetário foi revertido em benefício do Abrigo Cristo Redentor...Pelo que ontem assistimos, não deve o Teatro de Amadores ser considerado apenas um motivo diversional, mas precipuamente, conduto de inteligência, em a prol da cultura - Teatro pelo qual sempre pugnamos com vibrantes interesses, interesses que, infelizmente, foram confundidos. Necessitamos - expressão de ensinamento, calor sob o qual novos sublimados ânimos sejam oferecidos à nossa sensibilidade - disso o Teatro de Amadores se propõe a fazer, disso que, como prometimento de resolução obstinada foi-nos dado assistir ontem".
LUIZ TEIXEIRA

"..Atualmente , o Teatro de Amadores de Pernambuco, não só aqui mas em todo o pais, está valendo como uma verdadeira afirmação de que nem tudo está perdido, no Brasil, em matéria de arte teatral..."
MANOEL ALMEIDA MORAIS


Nota: No dia 23 de dezembro de 1941, estreou no Teatro José de Alencar, a convite da Sociedade de Cultura Artística, seguindo em excursão, até Fortaleza, patrocinada pelos governos de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará.
Foram beneficiadas as instituições:
Maternidade do Hospital Pedro II, no Recife.
Santa Casa; Asilo dos Alienados; Leprosário;
Natal dos detentos de Fortaleza

O Elenco para esta excursão:

Sra. Ivone Cavalcanti Borges Lady
Carolina Geninha Sá Miss Hester
José Carlos Cavalcanti Borges João
Sra. Pinheiro Dias Lady Hunstanton
Alderico Costa Geraldo Arbuthnor
Augusto Almeida Francis
Sra. Albérico Glasner Mistress Allonby
Ladyclairee de Oliveira Lady Stuttfield
Craveiro Leite Kervil
Valdemar de Oliveira Lord Jorge Illingworth
Albérico Glasner Lord Alfredo
Sra. Diná de Oliveira Raquel Arbuthnot
Neli Rabelo Alice


Nota:
A peça voltou a cartaz no mês de junho de 1944, no Teatro de Santa Isabel, com o seguinte elenco:

Vicentina Freitas do Amaral Lady Carolina.
Geninha Sá da Rosa Borges Miss Hester
Walter de Oliveira João
Denise Albuquerque Lady Hunstanton
Alderico Costa Geraldo Arbuthnot.
Gilberto Oliveira * Francis
Emilinha Sá Mistress Allonby
Ladyclaire de Oliveira Lady Stuttfield
Hermilo Borba Filho Kervil
Valdemar de Oliveira Lord Jorge Illingworth
Hercy Lapa de Oliveira Alice
* Estreantes no Teatro de Amadores de Pernambuco


Nota: Em dezembro de 1954 volta a cartaz, em temporada popular no Teatro de Santa Isabel com as modificações no elenco original:

Reinaldo de Oliveira Scrubby
Janice Cantinho Lobo Ana
Cecy Cantinho Lobo Cliveden Bank
Valdemar de Oliveira Willam Duke
Vicente Freitas do Amaral Snra. Midget
Otávio da Rosa Borges Thomson


Alderico,Vicentina, Diná, Geninha
Cenário e Interpretes
Segundo uma versão Portuguesa
Diretor: Valdemar de Oliveira
Estréia: 26 de julho de 1941.
Local: Teatro de Santa Isabel