<<anterior início próxima>>
Alto Mar
De: Sutton Vane

A peça se desenrola num mundo imaginário, onde os personagens são todos mortos, sem se aperceberem disso, navegando em pleno "Alto mar", a bordo de um transatlântico. Para onde vão ou de onde vieram não vem ao caso. Ali "navega" o drama envolvendo um casal, muito jovem arrependido de um suicídio, contracenam com um botiqueiro, uma ricaça orgulhosa, um pastor, uma mãe, um juiz e um milionário morto em desastre de avião . A peça põe em cena personagens irreais que estão ancorados às realidades da vida. "É interessante e desconcertante".

Elenco:

Alderico Costa Scrubby
Emilinha Sá * Ana
Valdemar de Oliveira Jorge
Alfredo de Oliveira* Tom Prior
Diná de Oliveira Clivender Banks
José Carlos Cavalcanti Borges Duke
Eunice Catunda* Midget
Valter de Oliveira Lingley
Ferreyra dos Santos Thomson
* Estreantes no Teatro de Amadores de Pernambuco


Ocorreram algumas substituições:

Eunice Catunda Maria do Carmo Rigueira Costa
Ferreyra dos Santos Dr. Coelho de Almeida
e Filgueira Filho


Cenários: Confeccionado pelo maquinista José de Barros.
Apliques: do cenógrafo Álvaro Amorim.
Contra regra: Francisco Miranda
Entidade beneficiada: Casa Tomé Gibson Casa do Jornalista, por iniciativa do AIP (Associação de Imprensa de Pernambuco)

Alguns trechos de crítica e pronunciamentos:

" Somos dos que tem acompanhado a fulgente trajetória do Teatro de Amadores com sincera e grande admiração, não sendo menores os nossos aplausos ao que de realmente valioso significa o aludido núcleo teatral no vasto, deserto e melancólico panorama da Arte cênica brasileira, infelizmente reduzida e abastardada, quando ainda generosamente, a simples motivo diversional, isso por força da ambição que a maioria dos responsáveis pela manutenção da sua intrínseca fisionomia concentra nos fascinantes egocêntricos proventos materiais. Agora, temos nova oportunidade para enaltecer o Teatro de Amadores. Deu-nos ensejo de assistir, ante-ontem a representação de uma peça do repertório universal, destinada às platéias de vanguarda. Sem o concurso decisivo, desses amadores que dignificam, sob qualquer aspecto, a arte cênica brasileira, não teríamos, estamos certos, experimentado as emoções que à nossa sensibilidade ofereceu ALTO MAR - profundas emoções que tivemos graças ao valor intectual da peça, o cuidado existente na sua montagem e, também ou principalmente à interpretação magnífica que lhe deram os componentes do Teatro de Amadores... No desenvolvimento cênico de ALTO MAR todos os figurantes concorreram para o seu notável êxito...A interpretação - por nós entusiasticamente aplaudida - da peça de Sutton Vane denunciou o esforço e a proficiência de quem, dando-lhe acertado roteiro, dirigiu o corpo cênico do Teatro de Amadores".
LUIZ TEIXEIRA

" Mais um espetáculo do Teatro de Amadores, com a peça ALTO MAR, do teatro Inglês, finamente traduzida por Joaquim Antônio Albano... Como das vezes anteriores, o espetáculo correspondeu à expectativa da platéia, dando cada amador - Alderico Costa, Emilinha Sá, Valdemar de Oliveira, Alfredo de Oliveira, Cavalcanti Borges, Eunice Catunda, Walter de Oliveira, Ferreyra Santos - conta do seu recado. No intervalo do 2º para o 3º ato, os Jornalistas fizeram uma manifestação aos "amadores" falando o Sr. Senelva de Vasconcelos e agradecendo o Sr. Valdemar de Oliveira.
MARIO MELO, no Jornal do Commercio.

" Em poucas palavras , ALTO MAR, desperta geral agrado pelas alternativas do cômico e dramático que encerra. As cenas desenrolam-se num buffet a bordo de um navio imaginário. ..Peça muito bem montada e interpretada, ao nosso ver, o maior sucesso do Teatro de Amadores. Todos os seus interpretes desincumbiram-se a contendo, sabendo sentir e viver com segurança absoluta, os seus papeis..." ALTO MAR é uma peça que deve ser assistida por todos aqueles que pontificam a doutrina codificada por Allan Kardeck".
GERALDO DOS SANTOS MELO, na Revista Espírita do Brasil

" Grande, nobilíssima peça, absolutamente original "diferente" , uma imposição do Teatro de Amadores que, de outro modo, teria perdido a sua significação e mais não valeria existir. Não poderia deixar de chocar o seu público, dividindo-o como o dividiu, em dois partidos: os que se sentiram entusiasmados por ela, apontando-a como o melhor trabalho teatral já apresentado no Recife e os que não a compreenderam, rendidos, todavia à sua potência dramática. Os outros, os que não " gostaram do gênero", irmanam-se àqueles que, por falta de hábito ou por índole, não se dão ao trabalho de pensar. E ALTO MAR, possui, em grau máximo, as qualidade da obra literária que obriga, convencido ou não, à reflexão. Uma coisa ALTO MAR conseguiu e eu, que a escolhi entre tantas, sinto-me satisfeito, provocou o debate fecundo, criou e esquentou o ambiente de respeito ao bom teatro. Em suma: não passou indiferente: levantou discussões balizadas pelos dois extremos que caracterizam as exaltações do nosso público: "porcaria" e "maravilha" . O que não aplicaram a ALTO MAR foi esse adjetivozinho assexuada, anódino, insignificante; " Boazinha".... Pode ser que o Teatro de Amadores, na composição do seu repertório, falseie, alguma vez. Mas, não será por lhe haver faltado o ânimo de realizar, em nossa terra, algo de durável e sólido, como expressão da grande arte teatral. E foi isto o que pretendeu e conseguiu, coma sanção do público mis inteligente, com a peça extraordinariamente bela e profunda de Sutton Vane".
VALDEMAR DE OLIVEIRA, no Jornal do Commercio.


REMONTADA EM 1954
Direção: Graça Melo
Data: 24 de Novembro de 1954
Cenário:
Graça Melo

ELENCO:
Valdemar de Oliveira
Reinaldo de Oliveira*
Sebastião Vasconcelos*
Janice Cantnho Lôbo*
Alfredo de Oliveira
Walter de Oliveira
Ceci Cantinho Lôbo
Otávio da Rosa Borges*
Vicentina Freitas do Amaral*
* Os atores não tomaram parte na primeira representação.

Tradutor: Joaquim Antônio Albano.
Diretor: Valdemar de Oliveira
Estréia: 19 de abril de 1942
Local: Teatro de Santa Isabel