<<anterior início próxima>>
A Gota d'água
De: Henri Bordeaux

O Teatro de Amadores de Pernambuco oferece ao seu grande público três peças de um ato. Um espetáculo de enorme responsabilidade, principalmente depois do enorme sucesso com "A comédia do Coração". Todas tiveram a direção de Valdemar de Oliveira, que lutou com grande dificuldade para atender todas as exigências técnicas (interpretação-guarda-roupa-cenários). Drama simples de um casal, beirando trinta anos de casados, que deseja se separar, sem razões profundas e desiste, depois que a filha, traída pelo esposo, não se conforma e pretende se divorciar

Elenco:

Alfredo de Oliveira Mordomo
Valdemar de Oliveira Felipe Desgardes
Diná de Oliveira Nanette Desgardes
Geninha Sá Simone
Walter de Oliveira Vorois

Cenários: Mario Nunes
Contra RegrA: Francisco Miranda
Maquinista: João Alves
Eletricista: Aníbal Mota
Auxiliar de eletricista: Aluísio Pereira de Santana

Curiosidade:
Primeira representação sem a utilização do "Ponto".


Alguns trechos de Críticas:


Hermilo Borba Filho no Jornal do Commercio de 13 de maio de 1945
, com relação a importantes inovações que o TAP trouxe aos seus espetáculos:
"Ilustração musical antes de abrir o pano para as apresentações e a retirada do "ponto". A cena ficou livre daquela "caixa" que já se tornou bastante conhecida, ganhou em veracidade, em perspectiva, fugindo ao convencional, dando mesmo uma sensação agradável de evolução que não é outro o papel desse grupo de amadores".

Luiz Teixeira:
"Escrevendo para um grande público Henri Bordeaux deu-nos, entretanto, uma boa peça, muito humana. Muito cotidiana, que nas mãos de um Armando Gonzaga qualquer seria transformada numa autêntica chanchada".

Tradutor: Valdemar de Oliveira
Diretor: Valdemar de Oliveira
Estréia: 28 abril de 1945.
Local: Teatro de Santa Isabel