<<anterior início próxima>>
Uma jovem recém-casada é vítima de um atropelamento, por automóvel, e conduzida, em estado de choque ao hospital.
A peça se inicia nesse momento, através de cenas que são transposições da mente perturbada da vítima (Alaíde), ora no plano da memória, ora no plano da alucinação: reminiscências, visões retrospectivas, imagens vividas ou sonhada, às quais se misturam lembranças de seu noivado e de seu casamento e desejos recalcados de ser uma segunda Mm. Clessí - mundana de 1905, de que Alaíde leu o diário íntimo e notas de imprensa sobre o seu sensacional assassinato.
Tudo isso - e mais algumas cenas que refletem a realidade atual - faz a trama de "Vestido de noiva", dentro de uma técnica revolucionária que procura reproduzir a sucessividade cinematográfica."
Nota solta no programa da peça.


ELENCO:



Margarida Cardoso 1* mulher
Janice Lôbo de Oliveira 2* mulher e mulher inatual
Herci Lapa de Oliveira 3* mulher
Geninha Sá da Rosa Borges Alaíde
Sebastião Vasconcelos Pedro, o limpador, o homem da capa e o namorado de Clessi
Diná de Oliveira Madame Clessí
Maria do Carmo Regueira Costa Xavier Leitora do Diário da Noite
Reinaldo de Oliveira 4* médico, 1* repórter
Sebastião Ramalho 2* repórter e 1* médico
Alfredo de Oliveira 3* repórter
José Maria Marques 4* repórter e rapaz romântico
Valdemar de Oliveira 2* médico
Pedro Francisco 3* médico
Otávio da Rosa Borges Gastão
Cecí Cantinho Lobo D. Lígia
Vicentina Freitas do Amaral D. Laura
Teresa Farias Guye Lúcia
Antônio Brito Homem de barba
( Pequenos jornaleiros )



FICHA TÉCNICA

Cenário:
Aluísio Magalhães
Maquinista: Alaceu Domingues Esteves / Aluísio Pereira de Santana
Auxiliar técnico: Reinaldo de Oliveira / Alfredo de Oliveira
Eletricista: Aníbal Mota
Produção: Teatro de Amadores de Pernambuco

Estréia em benefício da
Sociedade Pernambucana de Combate ao Câncer

 

Direção : Flamínio Bollini Cerri
Estréia:
15 de outubro de 1955
Local: Teatro de Santa Isabel

Vestido de Noiva
De: Nelson Rodrigues